Estado Livre da Bavária

Home/Sem categoria/Estado Livre da Bavária

Estado Livre da Bavária

Capital: Munique

A denominação histórica de Estado Livre quer dizer que a Bavária (ou Baviera) é um Estado republicano e não monárquico. É o maior Estado alemão em superfície.

Em nenhum outro lugar da Alemanha é cultivada a tradição tão naturalmente como lá: o traje típico não é usado apenas por ocasião de grandes festividades populares, como na anual festa da cerveja “Oktoberfest”, por exemplo, em Munique.

A fronteira do sul da Alemanha é definida pelos Alpes, com o pico mais alto do país, o Zugspitze (2.962 m). No sopé dessa montanha, Garmisch-Partenkirchen é capital dos esportes de inverno. Berchtesgaden é uma famosa estação de férias de montanha.

O Estado possui ainda a região pré-alpina com seus lagos: o Chiemsee e o Königssee, ou ainda o lago Schmalen, em Mittenwald, diante do maciço de Karwendel. A Floresta Bávara (Bayerischer Wald) com seu parque nacional, as florestas Fränkische Alb, Fichtelgebirge e Steigerwald.

A Bavária é rica em extensos parques, como o de Schönbusch nas imediações da cidade de Aschaffenburg, o Hofgarten em Ansbach ou o Parque “Englischer Garten” (Jardim Inglês) em Munique, e em castelos e palácios suntuosos, ressaltando-se os do “rei dos contos de fada” Ludwig II: Lindenhof, Neuschwanstein e Herrenschiemsee.

A cidade de Bamberg, com suas residências (Residenz) em Würzburg, é Patrimônio da Humanidade.

Munique é sinônimo de “Festa de Outubro”, feira de Natal, sendo a porta de entrada para os contos de fada. “Maximilianstrasse” é uma famosa rua de compras. A Ópera do Estado da Bavária, encontra-se em Munique.

Munique possui ainda o Deutsches Museum – a maior coleção mundial da história das ciências naturais e da técnica.

Também numerosas edificações históricas e museus de arte como a Antiga Pinacoteca (Lenbachhaus) e a Nova Pinacoteca (Schack-Galerie) – é uma galeria de novos mestres com base na coleção do Rei Ludwig I da Bavária, compreendendo pinturas do século XVIII até o XX.

A cidade é um centro significativo da ciência e da pesquisa, em decorrência sobretudo das renomadas universidades e de outros estabelecimentos de ensino superior, da Biblioteca Estatal Bávara – uma das maiores da Europa, com mais de 6 milhões de volumes – do Instituto Max Planck de Física do Plasma e de outras instituições.

O aeroporto, que recebeu o nome do antigo governador Franz-Josef Strauss, é um importante ponto de apoio do transporte aéreo internacional. Em fevereiro de 1998, foi inaugurado o novo parque de exposições, localizado na área do antigo aeroporto München-Riem.

Nuremberg, conhecida por seus salsichões e feira de Natal, foi imortalizada na ópera “Os Mestres Cantores de Nuremberg”, de Wagner, muitas vezes representada no Festival de Bayreuth – todos os anos, durante julho e agosto, as óperas de Richard Wagner são representadas durante o Festival de Wagner na cidade – local onde aquele compositor viveu de 1872 a 1883.

No fim do verão, os vinhos novos são abertos em meio ao esplendor barroco e rococó da cidade fortificada de Rothenburg. Nurembergue, a cidade de Albrecht Dürer (1471-1528) e de Hans Sachs (1491-1576), guarda em suas igrejas obras artísticas de alto gabarito do final da Idade Média. Apenas o Museu Nacional Germânico já justificaria uma viagem à cidade.

Joias do barroco e do rococó são as igrejas dos mosteiros de Banz e de Ettal, a basílica Vierzehnheilige e a Wieskirche, próxima a Steingaden. Esta última igreja foi declarada pela UNESCO como patrimônio cultural da humanidade, da mesma forma como a antiga residência do principado episcopal de Würzburg.

Sua escadaria – considerada uma das mais belas do mundo – foi construída por Balthasar Neumann (1687-1753), com afrescos de Giovanni Battista Tiepolo. A residência, os Jardins da Corte e a Praça de Würzburg são considerados Patrimônio da Humanidade.

Além dos Festivais de Munique, há as “Semanas Europeias” de Passau, “A Semana de Bach” em Ansbach e o “Festival de Mozart” de Würzburg. A música folclórica também está viva por toda a Baviera, especialmente por ocasião de numerosas festas, como a “Leonhardi-Fahrt” de Tölz, a “Festa da Paz” de Augsburg, o “Drachenstich” de Fürth, a “Kilianfest” de Würzburg e o “Torneio Medieval” de Kiefersfelden.

De dez em dez anos, realiza-se em Oberammergau a Paixão de Cristo, tradição desde 1634 (a mais recente foi no ano 2000).

Maiores informações: www.bayern.de

O cartão-postal mostra a catedral (ao fundo) e o prédio da Prefeitura com sua torre (Neuen Rathaus), na praça da prefeitura (Marienplatz), em Munique.

ANTIGO ESTADO ALEMÃO

BAVÁRIA (português) – BAYERN (alemão)
Moeda em 1849: 60 Kreuzer = 1 Guilden | Moeda em 1874: 100 Pfennig = 1 Mark

Reinado no sul da Alemanha, estabelecido em 1804. Capital: Munique. Emitiu selos entre 1849 a 1920. Depois da Primeira Guerra Mundial, declarou-se República. Perdeu sua autonomia postal em 31/03/1920.

O primeiro selo postal foi emitido em 1/11/1849 (Scott: 1, SG: 2), ele é preto e tem valor facial de 1 Kreuzer. Portanto, o primeiro selo da Alemanha veio da Bavária, chamado de “1 Kreuzer preto do Reinado” ou “Schwartzer eisner” mudado para “the black one”.

Curiosidade

O  primeiro selo postal do mundo sobre a Virgem Maria foi emitido em 14/02/1920 (abaixo, lado direito – Scott: 247, Y&T: 41).

Emitido no Estado da Bavária, representa a famosa coluna mariana localizada na praça da prefeitura (Marienplatz), em Munique. Tal coluna comemora a vitória de Maximilian I sobre os turcos, em 1620, perto de Praga, anunciando Maria como patrona da Bavária.

Do lado esquerdo, também de 1920 (SG: 127), um selo com valor facial de 1 marco e sobrecarga “Deutsches Reich”.

Imagem do site Mary on Stamps – www.udayton.edu/mary/resources/marystamps.html

Fonte

About the Author:

Leave A Comment