Curiosidades do Alemão

Home/Sem categoria/Curiosidades do Alemão

Curiosidades do Alemão

” (…) Billion – Alguém lhe prometeu “eine Billion Euro“. Alegre-se mesmo: você será trilionário! Não é um erro de digitação: entre a ordem de grandeza Million (10^6) e Billion (10^12), o idioma alemão tem Milliarde, o equivalente ao nosso bilhão.

Wasserfest Wasser é água. Bem, já que Oktoberfest é “festa de outubro” (comemorada em Munique, diga-se de passagem, no final de setembro), wasserfest só pode ser alguma festa aquática, certo? Errado: o “fest” neste caso nada tem a ver com festividade, é um adjetivo significando “firme”, “resistente”, portanto “à prova de”. Da mesma forma, feuerfest é “à prova de fogo”.

Não há como negar: além de ser, sabidamente, o lugar mais perigoso da casa, a cozinha também é o mais propício a equívocos lingüísticos:

Porco ou vaca? – No restaurante você pediu Fleisch, que quer dizer carne, claro. Portanto, salvo indicação em contrário, bovina, como no Brasil. Será? Então, o que é que este pedaço de porco (Schwein) está fazendo no seu prato? Um tipo de situação que demonstra o quanto de história, economia, sociologia, hábito, gosto, etc., se esconde por trás de um conceito banal. O default – valor padrão – para “carne” na Alemanha é porco, o principal animal de corte na pecuária e na gastronomia nacionais. O termo específico Schweinefleisch costuma ser reservado para contextos ambíguos. Contudo vem-se tornando mais freqüente, devido a uma maior sensibilização para os tabus alimentares islâmicos e judaicos. A carne bovina é normalmente especificada como Rindfleisch.

Nuss – Um caso semelhante: embora seja um termo genérico e conste do dicionário como “noz”, o default para frutos secos na língua alemã é avelã (Haselnuss). Noz é Walnuss.

Kondensmilch – Você está morrendo de saudades do Brasil. Nenhuma jabuticaba à vista, a única cura seria um belo pudim de leite condensado. No supermercado, que surpresa, o Kondensmilch é vendido em caixinhas de papelão. Você segue a receita à risca e o pudim sai um horror. O que aconteceu? O Kondensmilch da Alemanha não tem açúcar, é um leite mais espesso, para temperar o café sem esfriá-lo muito. Mas seu sonho de um pudim ainda não está perdido: ou pergunte por Milchmädchen, da marca também popular no Brasil, ou – em geral, mais fácil de achar e mais barato – recorra ao “gezuckerte Kondensmilch” das lojas de produtos asiáticos.

“Das ist mir zu viel!” – Você fez uma proposta a alguém, a pessoa respondeu assim, e você pensa que está abafando. Afinal, a tradução literal é: “É demais para mim!”. Condolências: você acabou de levar um fora e nem sabe. Enquanto para um brasileiro o excesso é positivo, “ser demais” é percebido pelos alemães como negativo. Interessante objeto de estudo para filólogos, psicólogos e sociólogos.

Como se diz “telefone celular” em alemão? – Esta é para adiantados. Os alemães não falam ao “celular” (como brasileiros), nem por “Mobilfon” (mobile para os ingleses, telemóvel em Portugal), ou “tragbares Telefon” (portable na França), e muito menos “Telefönchen” (telefonino na Itália). Aliás, cada país parece querer ser mais original do que o outro ao dar nome a esse melhor amigo do ser humano moderno. A denominação do celular na Alemanha (e Áustria) é um pseudo-anglicismo: Handy ou (horror supremo!) Händi. Também adotado em vários países asiáticos, o vocábulo vem do inglês, não está bem claro se a partir de handphone (telefone de mão) ou handy phone (telefone prático). (…)”

Fonte

About the Author:

Leave A Comment