A Oktoberfest Brasileira

Home/Sem categoria/A Oktoberfest Brasileira

A Oktoberfest Brasileira

A Oktoberfest de Blumenau, em Santa Catarina, é uma animada festa popular que combina música, dança e culinária alemãs e é o maior evento do gênero em toda a América. Segundo os organizadores, a Oktober de Blumenau perde em tamanho apenas para a festa de Munique, na Alemanha.

O chope e a cerveja em abundância, além dos tradicionais pratos da culinária alemã e da alegria dos participantes, atraem brasileiros de todo o país. A Oktoberfest envolve toda a cidade, mas se centraliza no complexo de pavilhões e instalações da Fundação Promotora de Exposições de Blumenau (Proeb), no Bairro da Velha.

O complexo, denominado Parque da Oktoberfest, tem uma área de 39 mil metros quadrados, sendo 21 mil de área construída. A maior parte das construções tem arquitetura com características alemãs, como a Vila Germânica, um conjunto de lojas onde os visitantes encontram todos os tipos de lembranças de Blumenau e também artigos para a festa, como canecões de chope.

A rua XV de novembro, principal via do Centro de Blumenau, é onde se realizam os desfiles de carros alegóricos no decorrer dos dias de festa. Participam dos desfiles bandas típicas, grupos folclóricos, clubes sociais, grupos teatrais, a rainha e as princesas da Oktoberfest, clubes de caça e tiro, representantes das festas de outubro de outras cidades catarinenses, entre outros.

História da festa

A Oktoberfest de Blumenau se tornou uma das festas mais populares do Brasil em apenas uma década. Ela é inspirada na festa homônima alemã, que teve origem há 192 anos, em Munique.

Tudo começou em 12/10/1810, quando o Rei Luis I, mais tarde Rei da Baviera, casou-se com a Princesa Tereza da Saxônia. Para festejar o enlace, organizou uma corrida de cavalos. O sucesso foi tanto, que a festa passou a ser realizada todos os anos com a participação do povo da região.

A festa ganhou uma nova dimensão em 1840, quando Munique recebeu o primeiro trem transportando visitantes para o evento. Desde então, passaram a ser montadas barracas com várias atrações. A cerveja, proibida desde os primeiros anos, só começaria a ser servida em 1918.

Por consequência das guerras e pela epidemia de cólera, a Oktoberfest deixou de realizar-se 25 vezes. De 1945 até hoje, aconteceu ininterruptamente. Atualmente, a Oktoberfest de Munique recebe quase 10 milhões de pessoas por ano. O consumo de cerveja chega a 7 milhões de litros!

As atrações da festa

O chope é servido em 50 bicas espalhadas pelo complexo da Proeb. Um dos maiores sucessos da oktober é o Concurso Nacional dos Tomadores de Chope em Metro. Vence quem tomar mais rápido os 600 ml de chope contidos numa tulipa de 1 metro. O recorde é de 10s78. O concurso ocorre todas as noites no Pavilhão D.

A diversão segue na parte externa que ladeia o Pavilhão A da Proeb. Se o turista prefere fazer compras, pode ir até a Vila Germânica, um centro de lojas com tudo o que se precisa para divertir-se na Oktoberfest.

Inveções malucas

Os desfiles da Oktoberfest reúnem folclore, tradição e diversão. Mas, além disso, leva às ruas as mais malucas invenções, quase todas ligadas ao amor pelo chope.

Entre eles estão a Choppmotorrad (moto do chope, que já distribuiu mais de 20 mil litros de chope gratuitamente), o Bierwagen (carro da cerveja, sempre presente nos desfiles), a Centopeia do Chopp (bicicleta articulada de 28,5 metros de comprimento e 17 lugares e com um sistema de som com 2000 Watts de potência) e a Locopeia (réplica de uma locomotiva com uma chopeira esculpida em forma de vaca: basta acionar o seu rabo para que jorre o chope).

Existem ainda outras máquinas, como o Bondepeia, a Garotapeia e o Fuscopteropeia. Todos aparelhos vem do “Planetapeia”, criado pelo empresário Nerino Furlan.

Fonte

About the Author:

Leave A Comment